A lição de Wyler nas filmagens de A Princesa e o Plebeu

Audrey [Hepburn] precisava se esquecer de “interpretar” e apenas aprender a “ser”. (…) A primeira lição na interpretação cinematográfica é como responder com um sentimento íntimo e não representar “para” a câmera, que é um instrumento tão sensível que capta cada nuance. As técnicas exageradas que um ator deve usar no palco parecem falsas e ridículas quando ampliadas cem vezes numa tela de cinema.

William Wyler, cineasta, em Audrey Hepburn – Uma Biografia, de Warren G. Harris (Editora Nova Fronteira; pg. 90). Acima, Audrey Hepburn com Gregory Peck na pausa das filmagens; abaixo, Audrey.

Curta nossa página no Facebook e siga nosso canal no YouTube

Veja também:
Bastidores: Em Busca do Ouro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s