Sesc Pinheiros

A história por trás da cena do striptease de A Doce Vida

Numa noite de novembro de 1958, um jovem aristocrata romano festeja seu aniversário numa boate da moda, Rugantino. Muito frequentada pela juventude dourada, o lugar acolhe também as estrelas do cinema, os escritores, os intelectuais… Nessa noite, Anita Ekberg faz a temperatura subir ao se lançar descalça numa dança endiabrada. Querendo ir além da estrela, Aiché Nanà, uma jovem atriz sedenta de fama, leva o público à loucura, entregando-se a um striptease incendiário. O evento causa escândalo. Misturado ao público, Tazio Secchiaroli, um dos primeiros fotógrafos de celebridades, imortaliza a cena, que no dia seguinte vira manchete das revistas. A Itália, inquieta com a decadência de sua alta sociedade, fica indignada. Em plena redação do roteiro de A Doce Vida, Fellini inspira-se no acontecimento para criar a cena do striptease da atriz Nadia Gray.

Trecho do catálogo da exposição Tutto Fellini, sob curadoria de Sam Stourdzé, no Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro e no Sesc Pinheiros, em 2012 (tradução de Cecília Ciscato e Samuel Titan Jr.; pg. 56).

Duas fotografias de Tazio Secchiaroli na Rugantino (1958)

A Doce Vida, de Federico Fellini (1960)

Veja também:
Bastidores: A Estrada da Vida

Curso sobre Kusturica no Sesc

A partir de 26 de maio, o Sesc Pinheiros, em São Paulo, recebe o curso Kusturica: Humanista Excêntrico, sobre um dos grandes cineastas em atividade no mundo: o sérvio Emir Kusturica. O curso será dado pelo jornalista e crítico de cinema Rafael Amaral, à frente do Palavras de Cinema, e mergulha na obra de Kusturica, passando por quase toda sua carreira, com apresentação de cenas e análises com os alunos.

Sobre inscrição e preço do curso, consulte aqui. Abaixo, o conteúdo das quatro aulas.

Aula 1 (26/05)

As origens do cineasta/ o primeiro curta-metragem: Guernica (análise)/ o sucesso de Você se Lembra de Dolly Bell? e os traços que acompanharão o cineasta em todos seus filmes seguintes/ Os primeiros sinais fellinianos no cinema de Kusturica/ a nostalgia, o fascínio pelo cinema e o olhar do mundo ocidental/ A consagração de Quando Papai Saiu em Viagem de Negócios com a Palma de Ouro.

Aula 2 (02/06)

A abordagem política e análise de cenas de Quando Papai Saiu em Viagem de Negócios (a comédia na Iugoslávia de Tito, pouco após a Segunda Guerra Mundial)/ Vida Cigana, a primeiro incursão de Kusturica no universo dos ciganos e o filme que marca sua entrada no chamado “realismo mágico”/ Análise de Vida Cigana.

Aula 3 (09/06)

Arizona Dream: Um Sonho Americano: Kusturica faz um filme nos Estados Unidos/ Os traços do diretor sobrevivem ao cinema americano/ A segunda Palma de Ouro: Underground – Mentiras de Guerra/ As influências do desmembramento da Iugoslávia e da Guerra da Bósnia em Underground/ A construção da personagem de Kusturica, suas distorções e o clima onírico/ A crítica ao governo comunista iugoslavo.

Aula 4 (16/06)

Gato Preto, Gato Branco: o retorno ao universo dos ciganos em outra comédia/ O povo cigano: as contradições entre as tradições e o mundo moderno/ O retorno a Cannes com A Vida é um Milagre/ Análise de A Vida é um Milagre/ Promessas e os trabalhos posteriores de Kusturica/ A importância da obra de Kusturica.

Veja também:
Guernica, de Emir Kusturica