Histórias Cruzadas

Os filmes de Alejandro González Iñárritu

Ao romper sua parceria com o roteirista Guillermo Arriaga, após Babel, muita gente achava que Alejandro González Iñárritu perderia a força. Ocorreu o oposto: seus últimos filmes mostram vigor, com textos originais e ótimas interpretações.

Com os conterrâneos Alfonso Cuarón e Guillermo del Toro, ele compõe um famoso trio de cineastas mexicanos e tem mostrado sólida carreira e prêmios na bagagem – entre eles o Oscar, vencido em 2015, um ano após Cuarón levar o seu.

Amores Brutos (2000)

Três histórias paralelas na cidade do México: um jovem com um cão que participa de rinhas, uma modelo que sofre um acidente e perde seu cão, um andarilho que trabalha como matador de aluguel e tenta reencontrar a filha. Em seu longa-metragem de estreia, o diretor mexicano colheu elogios em excesso. Indicado ao Oscar de filme estrangeiro.

amores brutos

21 Gramas (2003)

Vidas voltam a se cruzar nesse drama de elenco forte, e de novo com um roteiro de Guillermo Arriaga, que ainda contribuiria com Iñárritu em Babel. O destaque fica com Naomi Watts, como a ex-viciada em drogas que perde a família em um atropelamento. Em meio ao drama pesado, ela esbarra na personagem de Sean Penn e tudo muda.

21 gramas

Babel (2006)

O problema é a arma, que passa de mão em mão, e que termina por desestabilizar personagens em diferentes histórias. Ou, pode-se supor, o problema está nas diferentes línguas, fronteiras, formas de fazer todos parecerem diferentes demais. O destaque vai para as coadjuvantes Adriana Barraza e Rinko Kikuchi, em diferentes pontos do mundo.

babel

Biutiful (2010)

Filme forte, feito de mal-estar, no qual Javier Bardem é Uxbal, homem dividido, em mais uma grande interpretação. Ao longo de sua jornada, ele tem problemas com a família, com os imigrantes que alicia, com si mesmo: o protagonista vive em estado terminal. Em uma das cenas mais fortes, corpos são levados pelas ondas do mar.

biutiful

Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) (2014)

Riggan, antes um ator famoso, agora tendo de provar seu talento nos palcos da Broadway, ainda é possuído por um demônio passado: Birdman, a personagem que desempenhou na tela grande. O paralelo com a carreira de Michael Keaton, eternizado como Batman, é apenas detalhe. O ator tem aqui seu melhor momento e deveria ter ganhado o Oscar.

birdman 2

O Regresso (2015)

Grande em tudo, a começar pelo alcance da câmera inquieta, pela violência, pelos olhares assustados de índios e homens brancos. O protagonista (Leonardo DiCaprio) quase morre ao ser atacado por um urso e, após perder o filho, busca vingança. Iñárritu consegue bons resultados ao abordar o conflito entre religiosidade e selvageria.

o regresso

Veja também:
Os dez melhores filmes de Woody Allen

Sete bons filmes com Jessica Chastain

É uma daquelas aparições que não passam despercebidas. Quando surgiu, Jessica Chastain estava pronta para ser estrela, com traços angelicais, bela, também disposta a papéis inesperados, como se viu no fraco Histórias Cruzadas.

Para muita gente, foi em Árvore da Vida que se deu a descoberta. Mas ela esteve antes no extraordinário O Abrigo. Recentemente, Chastain não tem se preocupado apenas em ser protagonista. Suas coadjuvantes são boas até mesmo quando o material não ajuda, como no recente Perdido em Marte. Abaixo, seus melhores filmes até o momento.

O Abrigo, de Jeff Nichols

Em cena, ela interpreta a mulher de um homem paranoico, que constrói um abrigo contra furacões e outros desastres, e contra os gafanhotos que anunciam os dias finais.

o abrigo

Árvore da Vida, de Terrence Malick

O pai, vivido por Brad Pitt, parece representar o mundo bruto. Do outro lado, ela é a mãe cuja face remete ao espírito, em belas sequências desse premiado filme de Malick.

árvore da vida

Os Infratores, de John Hillcoat

Nesse interessante filme de gângster, a atriz é a bela que se infiltra em uma família, entre irmãos, e que precisa mostrar força em um ambiente tipicamente masculino.

os infratores

A Hora Mais Escura, de Kathryn Bigelow

História supostamente verdadeira, sobre como a agente Maya (Chastain), de contornos heroicos, conseguiu chegar ao esconderijo do terrorista Osama bin Laden.

a hora mais escura

Miss Julie, de Liv Ullmann

Dirigida pela grande dama de Bergman, a partir de um texto de Strindberg, ela é a dona da grande casa em conflito com o criado (Colin Farrell). Em cena, romance e diferenças sociais.

miss julie

O Ano Mais Violento, de J.C. Chandor

Belo filme passado na Nova York dos anos 80, quando um empresário tenta se desviar da corrupção, sobreviver à concorrência e lidar com a ambiciosa esposa (Chastain).

o ano mais violento

A Colina Escarlate, de Guillermo del Toro

Boa surpresa de 2015, sobre uma menina (Mia Wasikowska) apaixonada pelo homem errado, e tendo de lidar com a personagem de Chastain, a estranha irmã do rapaz.

a colina escarlate

Veja também:
Os dez melhores filmes com Meryl Streep