femme fatale

Uma femme fatale infantil

Uma acompanhante andrógina, uma femme fatale infantil. Inocência pura, sexo puro, pragmatismo puro, ela representa a nova mulher. É apenas uma performance cinematográfica. Brooks não precisa atuar, apenas agir como ela mesma. Mas Brooks também brilha como uma grande atriz. Sua versatilidade permite que ela lide com as nuances psicológicas. Brooks repetidamente causa a impressão de ser uma folha em branco. Uma criatura intuitiva com uma inteligência alerta. Brooks está além de ser manipuladora, está além do bem e do mal. Inteligência e hedonismo não se excluem. Nada nela era misterioso e era isso que assustava os alemães da época. A presença de Louise era um espelho que refletia seus próprios vícios.

Do documentário From Caligari to Hitler, de Rüdiger Suchsland, a partir da obra de Siegfried Kracauer, em trecho que aborda a presença de Louise Brooks. Abaixo, a atriz em A Caixa de Pandora, de Georg Wilhelm Pabst.

Curta o Palavras de Cinema no Facebook

Veja também:
Forças do expressionismo

Dez loiras fatais do cinema

Elas compõem o grupo das damas fatais, ou femme fatales, que por muito tempo povoou o cinema noir americano. São mulheres perigosas, capazes de tornar a vida dos companheiros um verdadeiro inferno. Boa parte delas não ama. Algumas ainda mostram sentimentos e podem se transformar ao fim. Abaixo, dez loiras de filmes inesquecíveis.

Curta o Palavras de Cinema no Facebook

Phyllis Dietrichson (Barbara Stanwyck) em Pacto de Sangue

O diretor Billy Wilder confessou que a peruca loira era proposital. A ideia era tornar Stanwyck uma “mulher barata”. Sua composição é assustadora e histórica.

Barbara Stanwyck

Cora Smith (Lana Turner) em O Destino Bate à Sua Porta

Difícil esquecer a primeira aparição de Smith, a loira aproveitadora em um restaurante à beira da estrada, casada com o homem errado, sob os flertes de John Garfield.

o destino bate à sua porta

Elsa Bannister (Rita Hayworth) em A Dama de Shangai

Tão perfeita quanto Hayworth no papel – o oposto da Gilda de cabelos volumosos – é o “pato” interpretado por Orson Welles, também diretor e então marido da atriz.

a dama de shangai

Gabrielle (Gaby Rodgers) em A Morte Num Beijo

A falsidade e o desejo ficam claros na forma como ela alisa a mala, a suposta Caixa de Pandora. Ela engana o anti-herói de Ralph Meeker e, a certa altura, ousa abrir a caixa.

a morte num beijo

Madeleine/Judy (Kim Novak) em Um Corpo que Cai

Em meio ao jogo que inclui o medo de altura do herói de James Stewart, ela terá novamente de assumir os cabelos loiros ao fim, ser sua velha personagem.

um corpo que cai

Marnie Edgar (Tippi Hedren) em Marnie, Confissões de uma Ladra

O terreno é, de novo, o de Hitchcock, com suas relações psicanalíticas, sobre uma ladra compulsiva e um ricaço que talvez deseje fazer amor com ela enquanto esteja roubando.

marnie

Alex Forrest (Glenn Close) em Atração Fatal

Não é muito bonita. Torna-se cada vez mais estranha, repulsiva: mata pequenos animais, faz jogos com a mulher do amante e até leva o filho dele para passear.

atração fatal

Catherine Tramell (Sharon Stone) em Instinto Selvagem

Lembrada pela cruzada de pernas, Stone está à vontade e se deixa levar pelo jogo perigoso. Paul Verhoeven acerta o tom nessa homenagem aos homens fracos do cinema.

instinto selvagem

Lynn Bracken (Kim Basinger) em Los Angeles: Cidade Proibida

Hollywood abriga figuras falsas, prostitutas com rostos de atrizes. É o caso de Bracken, sósia de Veronica Lake, que coloca os dois protagonistas e policiais a seus pés.

los angeles cidade proibida

Laure/Lily (Rebecca Romijn) em Femme Fatale

Os filmes de Brian De Palma sempre foram acusados de beber na fonte de Hitchcock. Os ingredientes são irresistíveis: a bela fatal, o mundo do cinema e identidades trocadas.

femme fatale

Veja também:
Oito filmes recentes sobre a difícil relação entre mãe e filho

Fotógrafos (em dez filmes)

Os fotógrafos do cinema quase sempre entram em alguma enrascada: às vezes fotografam algo que não podiam, e às vezes, como em Blow-Up, fotografam um crime mesmo sem saber. E talvez esse crime sequer tenha ocorrido.

O dilema do filme de Antonioni ecoaria em outros, não necessariamente sobre a arte do fotógrafo. É o caso de um Tiro na Noite, de De Palma, que, mais tarde, faria Femme Fatale, sobre um fotógrafo que se envolve com uma mulher perigosa.

Viciados em trabalho, esses fotógrafos usam suas câmeras como armas, ou como forma de denúncia – caso da protagonista de Mil Vezes Boa Noite, tendo de encarar o dilema de viver em zonas de guerra ou estar com a família, longe do trabalho.

E há, por sua vez, o instante mágico, explorado por Mike Nichols em Closer. A fotógrafa Anna capta a lágrima de Alice (Natalie Portman). Momento revelador, no qual o espectador também descobre que a segunda sabe sobre o relacionamento adúltero entre seu companheiro e Anna, em uma das várias reviravoltas do filme.

L.B. Jefferies (James Stewart), em Janela Indiscreta

janela indiscreta

Thomas (David Hemmings), em Blow-Up – Depois Daquele Beijo

blow-up

Laura Mars (Faye Dunaway), em Os Olhos de Laura Mars

os olhos de laura mars

Bellocq (Keith Carradine), em Menina Bonita

menina bonita

Tereza (Juliette Binoche), em A Insustentável Leveza do Ser

a insustentável leveza do ser

Robert Kincaid (Clint Eastwood), em As Pontes de Madison

pontes de madison

Buscapé (Alexandre Rodrigues), em Cidade de Deus

cidade de deus

Nicolas Bardo (Antonio Banderas), em Femme Fatale

femme fatale

Anna (Julia Roberts), em Closer: Perto Demais

closer

Rebecca (Juliette Binoche), em Mil Vezes Boa Noite

mil vezes boa noite

As dez melhores damas fatais do cinema noir

Elas fazem o cinema noir ainda mais interessante e este, é certo, não seria a mesma coisa sem elas. Belas e perigosas, fazem entender o que leva um bando de homens à desgraça. E, antes que alguém aponte à ausência de Gilda ou Laura, a lista abaixo – com as dez mais – traz apenas mulheres que tiveram a clara intenção de acabar com a vida dos outros e, de uma forma ou de outra, são vilãs. Às belas.

10) Jean Simmons em Alma em Pânico (1952)

Jean Simmons

9) Ida Lupino em Dentro da Noite (1940)

ida lupino

8) Mary Astor em O Falcão Maltês (1941)

mary astor

7) Lana Turner em O Destino Bate à Sua Porta (1946)

lana turner

6) Ann Savage em Curva do Destino (1945)

DETOUR, Ann Savage, Tom Neal, 1945, lamppost

5) Gloria Swanson em Crepúsculo dos Deuses (1950)

Gloria Swanson

4) Ava Gardner em Os Assassinos (1946)

Ava Gardner

3) Jane Greer em Fuga do Passado (1947)

Jane Greer

2) Gene Tierney em Amar Foi Minha Ruína (1945)

Gene Tierney

1) Barbara Stanwyck em Pacto de Sangue (1944)

Barbara Stanwyck