Arthur Penn

Dez filmes que resumem os anos 60

Nessa década fantástica à sétima arte, alguns nomes vêm rapidamente à cabeça. Filmes incríveis que ajudam a entender esse tempo e que sobreviveram intactos. À lista.

A Doce Vida, de Federico Fellini

a doce vida

Tudo Começou no Sábado, de Karel Reisz

tudo começou no sábado

Juventude Desenfreada, de Nagisa Oshima

juventude desenfreada

Paris nos Pertence, de Jacques Rivette

paris nos pertence

O Indomado, de Martin Ritt

o indomado

Trinta Anos Esta Noite, de Louis Malle

trinta anos esta noite

As Margaridas, de Vera Chytilová

as margaridas

Blow-Up, de Michelangelo Antonioni

blow-up

Bonnie & Clyde – Uma Rajada de Balas, de Arthur Penn

bonnie & clyde

Macunaíma, de Joaquim Pedro de Andrade

macunaíma

Rebeldes

Uma lista rápida, com uma penca de nomes importantes, que vem à mente de uma hora para outra. Assim, como em uma inspiração. Sim, faltam outros, homens e mulheres. Mas fiquemos com estes por enquanto.

Abel Ferrara

abel ferrara

Arthur Penn

arthur penn

Carlos Reichenbach

Carlos Reichenbach

Dennis Hopper

dennis hopper

Francis Ford Coppola

Francis Ford coppola

Hal Ashby

hal ashby

John Cassavetes

john cassavetes

Michael Cimino

michael cimino

Nagisa Oshima

Nagisa Oshima

Orson Welles

orson welles

Pier Paolo Pasolini

Pier Paolo Pasolini

Rainer Werner Fassbinder

Rainer Werner Fassbinder

Robert Altman

robert altman

Samuel Fuller

samuel fuller

Werner Herzog

werner herzog

William Friedkin

william friekin

Jovens, amantes e pistoleiros

Nos tempos de Vive-se Uma Só Vez e Amarga Esperança, o crime e a aventura ainda se justificavam com gestos de amor. O casamento rondava a vida das personagens e o crime como prazer demoraria a chegar.

Chegaria, depois, na rabeira da contracultura, como desejo, como saída àquela mesmice de vida que as personagens de Bonnie & Clyde – Uma Rajada de Balas negavam, em um marco estadunidense responsável por sacudir as bases da indústria. Era a Nova Hollywood.

Claro que Mortalmente Perigosa ajudou a abrir as portas. A juventude, pouco a pouco, ganhava forma, jeito e fúria – passava a ditar as maneiras e manias desses pistoleiros, em uma América maluca por armas. O filme de Joseph H. Lewis já tinha, 50 anos antes, mensagens mais poderosas para entender esse fascínio do que o famoso documentário de Michael Moore.

Com Bonnie & Clyde chega o sexo, ou seu reverso: a impotência. A mulher ganha protagonismo definitivo e, ainda assim, não esconde o amor louco. Abaixo, uma lista que vai do clássico de Fritz Lang ao belo e provocador trabalho de Marcelo Piñeyro.

Vive-se Uma Só Vez, de Fritz Lang

vive-se uma só vez

Amarga Esperança, de Nicholas Ray

amarga esperança

Mortalmente Perigosa, de Joseph H. Lewis

mortalmente perigosa

O Demônio das Onze Horas, de Jean-Luc Godard

demônio das onze horas

Bonnie & Clyde – Uma Rajada de Balas, de Arthur Penn

Bonnie e Clyde

Terra de Ninguém, de Terrence Malick

terra de ninguém

Renegados Até a Última Rajada, de Robert Altman

renegados até a última rajada

Drugstore Cowboy, de Gus Van Sant

drugstore cowboy

Assassinos Por Natureza, de Oliver Stone

MSDNABO EC020

Plata Quemada, de Marcelo Piñeyro

plata quemada