Amargo Pesadelo

As ilhas de John Boorman

Meus filmes revelam, efetivamente, que a natureza é feita de uma mistura de beleza e crueldade; e eu creio que me liguei sempre em meus filmes de maneira que a intriga resulte ao mesmo tempo familiar e estranha, um pouco à maneira de um pesadelo. Ao mesmo tempo recorri muitas vezes ao tema ou ao símbolo da ilha, depois de meu primeiro filme, Catch Us If You Can, onde a ilha era o objeto de busca dos personagens, passando por À Queima Roupa, com não somente a ilha/prisão de Alcatraz, mas também Los Angeles, no seio da qual as pessoas estão muito isoladas, por Inferno no Pacífico, evidentemente, já que se tratava de um cenário único, e por Príncipe sem Palácio, com um bairro de Londres isolado do resto da cidade e a casa que pertence a um branco, que é como um ilhéu no bairro negro. Em Amargo Pesadelo, o rio constitui a seu modo um universo à parte, onde a civilização se transforma em qualquer coisa distante.

John Boorman, cineasta, sobre seus filmes, em trecho destacado do ensaio de Tuio Becker sobre o realizador (Zero Hora, 11 de março de 1973; o ensaio está no livro Sublime Obsessão, Editora da Unisc; pgs. 91 e 92). Abaixo, Boorman, com Burt Reynolds, nas filmagens de Amargo Pesadelo.

Curta o Palavras de Cinema no Facebook

Veja também:
Bastidores: Amargo Pesadelo

Bastidores: Amargo Pesadelo

Filmado em ambientes naturais espetaculares dos estados da Geórgia, Carolina do Norte e Carolina do Sul, o filme contém uma mensagem ecológica animada e uma crítica acurada da capacidade do homem “civilizado” de invadir a natureza. Esses temas não são novos na filmografia de Boorman, já que em A Floresta das Esmeraldas, por exemplo, abordava a vida em uma tribo amazônica. Amargo Pesadelo também funciona como uma reflexão sobre até que ponto de desumanização uma pessoa pode chegar, tirando o pior de si mesma em circunstâncias extremas. Qualquer um pode quebrar seus códigos morais e mostrar sua face mais violenta e irracional quando vê sua vida em perigo ou quando há algum dano a alguém que importe. (…) Com cenas de ação vibrantes e realistas, como as descidas vertiginosas dos protagonistas pelas correntezas em suas canoas – que foram filmadas sem dublê na maioria dos casos – e uma crueza nas passagens mais violentas, Amargo Pesadelo pode ser considerado um dos melhores filmes de aventura e suspense de toda a década.

Jose Antonio Martín, crítico de cinema, no site El antepenúltimo mohicano (leia aqui; tradução do blog). Abaixo, Jon Voight durante as filmagens.

Curta o Palavras de Cinema no Facebook

Veja também:
Excalibur, de John Boorman

Navios, barcos, botes, jangadas e outros (em 30 filmes)

Na rabeira do lançamento de Capitão Phillips, novo trabalho de Paul Greengrass, segue uma lista com filmes que incluem barcos e outros meios de transporte sobre a água. Em alguns deles, os barcos estão de passagens e não são fundamentais à história. Mas sempre vale lembrar e dar uma conferida. À lista.

Encouraçado Potemkin, de Sergei M. Eisenstein

encouraçado potemkin

Marinheiro de Encomenda, de Charles Reisner e Buster Keaton

marinheiro de encomenda

Limite, de Mário Peixoto

limite

Tabu, de F.W. Murnau

tabu

O Atalante, de Jean Vigo

atalante

O Grande Motim, de Frank Lloyd

o grande motim

Um Dia no Campo, de Jean Renoir

um dia no campo

As Três Noites de Eva, de Preston Sturges

três noites de eva

Nosso Barco, Nossa Alma, de Noel Coward e David Lean

nosso barco nossa alma

Um Barco e Nove Destinos, de Alfred Hitchcock

um barco e nove destinos

As Oito Vítimas, de Robert Hamer

oito vitimas

Uma Aventura na África, de John Huston

uma aventura na áfrica

Os Homens Preferem as Loiras, de Howard Hawks

homens preferem as loiras

Monika e o Desejo, de Ingmar Bergman

monica e o desejo

A Nave da Revolta, de Edward Dmytryk

a nave da revolta

Sabrina, de Billy Wilder

sabrina

Exodus, de Otto Preminger

exodus

A Faca na Água, de Roman Polanski

a faca na água

Billy Budd, de Peter Ustinov

billy budd

Os Emigrantes, de Jan Troell

emigrantes

Amargo Pesadelo, de John Boorman

amargo pesadelo

Tubarão, de Steven Spielberg

tubarão

Fitzcarraldo, de Werner Herzog

fitzcarraldo

As Três Coroas do Marinheiro, de Raoul Ruiz

tres coroas do marinheiro

Forrest Gump, o Contador de Histórias, de Robert Zemeckis

forrest gump

Titanic, de James Cameron

titanic

Um Filme Falado, de Manoel de Oliveira

um filme falado

Mestre dos Mares – O Lado Mais Distante do Mundo, de Peter Weir

mestre dos mares

A Aventura de Kon-Tiki, de Joachim Rønning e Espen Sandberg

kon tiki

As Aventuras de Pi, de Ang Lee

as aventuras de pi