Quadros: A Marca da Maldade

Resumo: O vilão gigante encarnado por Orson Welles quase consegue se redimir ao fim: ele precisou trapacear para prender o verdadeiro criminoso. Contra ele, nessa obra-prima, está o policial vivido por Charlton Heston, polo oposto, encarnação do bem. No inferno do cineasta, feito da cisão de uma fronteira, na qual não se vê grandes diferenças de um lado ou de outro, nasce esse filme noir exemplar. (Touch of Evil, 1958)

Direção: Orson Welles
Direção de fotografia: Russell Metty