Os dez melhores atores de 2022

Centrais
Um homem só pode encontrar sua liberdade sendo outro, o herói que deseja sua sociedade. Outro homem – em outro país, a Alemanha, e em outro contexto histórico – só pode ser livre em uma prisão. Em 2022 fomos brindados ainda com um belo Macbeth negro, com um procurador de Justiça disposto a colocar militares na cadeia, além de um ator pornô de volta à pequenez de sua antiga cidade texana.

Amir Jadidi em Um Herói

Denzel Washington em A Tragédia de Macbeth

Franz Rogowski em Great Freedom

Ricardo Darín em Argentina, 1985

Simon Rex em Red Rocket

Outros destaques: Banks Repeta em Armageddon Time; Cooper Hoffman em Licorice Pizza; Daniel Giménez Cacho em Bardo, Falsa Crônica de Algumas Verdades; Denis Ménochet em Peter von Kant; Hidetoshi Nishijima em Drive My Car; Joaquin Phoenix em Sempre em Frente; Oscar Isaac em O Contador de Cartas; Paul Mescal em Aftersun; Timothée Chalamet em Até os Ossos; Vincent Lindon em Un Autre Monde.

***

Coadjuvantes
O pai de família um pouco estourado lamenta ao filho que não pode ser como seu sogro, o avô que serve de inspiração à criança ao centro da história. Compreendemos ele. Outra relação familiar, ainda mais dura, está na situação do pai de um filho desaparecido e depois “reencontrado”. Atrás de uma garota, nas estradas americanas, está um canibal de cabelos longos e trança e, viciado, preso, um homem busca expurgar seus demônios enquanto revela desejos que lhe são estranhos.

Anthony Hopkins em Armageddon Time

Georg Friedrich em Great Freedom

Jeremy Strong em Armageddon Time

Mark Rylance em Até os Ossos

Vincent Lindon em Titane

Outros destaques: Albrecht Schuch em Nada de Novo no Front; Anders Danielsen Lie em A Pior Pessoa do Mundo; Anthony Bajon em Un Autre Monde; Bertie Carvel em A Tragédia de Macbeth; Bradley Cooper em Licorice Pizza; Ciarán Hinds em Belfast; David Strathairn em O Beco do Pesadelo; Eddie Redmayne em O Enfermeiro da Noite; Issey Takahashi em A Mulher de um Espião; Jamie Dornan em Belfast; Lambert Wilson em Benedetta; Luigi Lo Cascio em O Traidor; Michael Stuhlbarg em Até os Ossos; Peter Lanzani em Argentina, 1985; Pio Marmaï em A Fratura; Willem Dafoe em O Beco do Pesadelo.

SOBRE O AUTOR:
Rafael Amaral é crítico de cinema e jornalista (conheça seu trabalho)

Veja também:
A Tragédia de Macbeth, de Joel Coen

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s