13 filmes inesquecíveis com Jean-Louis Trintignant

Alguns atores passam a vida toda tentando conquistar um grande papel, pelo qual serão lembrados. Jean-Louis Trintignant, em uma carreira que chega a pelo menos seis décadas, conquistou um punhado deles, ao lado de cineastas consagrados como Bertolucci e Costa-Gavras. Separamos 13.

13) As Corças, de Claude Chabrol

Trintignant vive o arquiteto Paul. Na trama do hitchcockiano Chabrol, ele surge sem pedir licença e passa a compor um triângulo amoroso que inclui também as belas Stéphane Audran e Jacqueline Sassard.

12) Um Homem, Uma Mulher, de Claude Lelouch

Uma história de amor que conquistou importantes prêmios em Cannes e no Oscar e plateias no mundo todo. Em cena, Trintignant faz um piloto de corridas que se envolve com a script-girl de Anouk Aimée.

11) O Vingador Silencioso, de Sergio Corbucci

Tão bom e brutal quanto Django, o faroeste de Corbucci traz o ator como um pistoleiro mudo em um cenário de neve que sem dúvida serviu de inspiração para Tarantino na composição de Os Oito Odiados.

10) O Deserto dos Tártaros, de Valerio Zurlini

Coadjuvante importante, Trintignant é o médico do forte em que corre a história, baseada na obra de Dino Buzzati. O protagonismo fica com Jacques Perrin, o tenente que aguarda pela guerra que nunca chega.

9) Amor, de Michael Haneke

Dois idosos isolados em uma casa. Poucos visitantes. Ela, Emmanuelle Riva, adoece. Ele, Trintignant, assiste às suas dores, compartilha seus momentos derradeiros em um dos filmes mais tristes de todos os tempos.

8) De Repente Num Domingo, de François Truffaut

O ator faz aqui um homem misterioso e autoritário cuja secretária (Fanny Ardant) arriscar-se-á para livrar sua cara. Mais um divertido e engenhoso filme de Truffaut, com fotografia em preto e branco de Néstor Almendros.

7) E Deus Criou a Mulher, de Roger Vadim

O jovem inocente – contraponto ao irmão vivido – envolve-se com a moça mais bela das redondezas, da Saint-Tropez efervescente dos anos 1950. Nesse espaço, Brigitte Bardot representa a revolução sexual.

6) Aquele que Sabe Viver, de Dino Risi

O ator viverá de novo o jovem inocente, estudioso, a descobrir os prazeres da vida – e boas doses de amargor – na companhia de alguém mais velho, experimentado, o homem de Vittorio Gassman.

5) Verão Violento, de Valerio Zurlini

O rapaz chama-se Carlo e não quer se alistar no Exército. A mulher em seu caminho – mais velha, mais experiente – é vivida por Eleonora Rossi Drago. O tempo é de descobertas, e também de guerra.

4) Z, de Costa-Gavras

Um elenco repleto de grandes nomes. Um filme eletrizante sobre o assassinato de um deputado e ativista na Grécia sob o poder militar. Trintignant interpreta o juiz de instrução à frente da investigação.

3) Minha Noite com Ela, de Éric Rohmer

O ator francês é perfeito para o papel de um devoto católico que, em um noite, tem suas ideias desafiadas por uma mulher, a bela Maud (Françoise Fabian). É também um dos melhores de Rohmer.

2) A Fraternidade é Vermelha, de Krzysztof Kieslowski

Em sua terceira parte da Trilogia das Cores, Kieslowski deu a Trintignant o papel de um juiz ranzinza, que perdeu a fé na humanidade e vigia seus vizinhos. Tudo muda quando ele encontra uma mulher mais jovem.

1) O Conformista, de Bernardo Bertolucci

Obra-prima máxima sobre o universo fascista, sobre o homem alienado, obediente, rendido às forças do desejo que o cercam e contra as quais nada pode fazer. Para Trintignant, o papel de uma vida.

SOBRE O AUTOR:
Rafael Amaral é crítico de cinema e jornalista (conheça seu trabalho)

Veja também:
Os dez melhores filmes de todos os tempos, segundo Béla Tarr

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s