20 astros e estrelas que ganharam o Oscar por filmes hoje pouco lembrados

Ganhar um Oscar não garante a eterna lembrança do público. Bette Davis, por exemplo, é mais lembrada por filmes em que foi indicada e perdeu – como A Malvada e O Que Terá Acontecido a Baby Jane? – do que pelos filmes que lhe deram a estatueta, ainda nos anos 1930 – Perigosa e Jezebel.

ACOMPANHE NOSSOS CANAIS: Facebook e Telegram

Katherine Hepburn é a recordista de prêmios nas categorias de atuação: venceu quatro vezes, todas como protagonista. A primeira estatueta veio ainda cedo, em 1934, por um filme que pouco lembramos, Manhã de Glória. Suas outras estatuetas – por Adivinhe Quem Vem para Jantar, Leão no Inverno e Num Lago Dourado – foram conquistadas décadas depois, por obras que geram alguma recordação.

Atuações fortes e corajosas também nem sempre garantem forte lembrança. Penso em Simone Signoret em Almas em Leilão, Burt Lancaster em Entre Deus e o Pecado, Julie Christie em Darling, a que Amou Demais ou Jeremy Irons em O Reverso da Fortuna. Filmes que merecem, sem dúvida, a redescoberta.

Todos se lembram de Grace Kelly nos filmes que fez com Hitchcock, de Robert Duvall nas duas primeiras partes de O Poderoso Chefão, ou de Sissy Spacek em Carrie, a Estranha. Os filmes que lhes renderam o Oscar – dramas contidos, produções modestas – estão na lista abaixo e são quase sempre relegados a segundo plano.

Muitos desses atores precisam de um pequeno grande papel de prestígio, o chamado “filme sério”. Precisam desse afago. David Niven ganhou um Oscar improvável por Vidas Separadas, Ginger Rogers por Kitty Foyle, Jack Lemmon por Sonhos do Passado. Vale a pena ver cada uma dessas performances e os filmes que lhes dão guarda.

Katharine Hepburn – Manhã de Glória (1933)

Bette Davis – Perigosa (1935)

Spencer Tracy – Marujo Intrépido (1937)

Ginger Rogers – Kitty Foyle (1940)

Grace Kelly – Amar é Sofrer (1954)

Anna Magnani – A Rosa Tatuada (1955)

David Niven – Vidas Separadas (1958)

Simone Signoret – Almas em Leilão (1959)

Burt Lancaster – Entre Deus e o Pecado (1960)

Sidney Poitier – Uma Voz nas Sombras (1963)

Julie Christie – Darling, a que Amou Demais (1965)

Maggie Smith – Primavera de uma Solteirona (1969)

Jack Lemmon – Sonhos do Passado (1973)

Sissy Spacek – O Destino Mudou Sua Vida (1980)

Robert Duvall – A Força do Carinho (1983)

Geraldine Page – O Regresso para Bountiful (1985)

Geena Davis – O Turista Acidental (1988) (coadjuvante)

Jeremy Irons – O Reverso da Fortuna (1990)

Jessica Lange – Céu Azul (1994)

James Coburn – Temporada de Caça (1998) (coadjuvante)

SOBRE O AUTOR:
Rafael Amaral é crítico de cinema e jornalista (conheça seu trabalho)

Veja também:
Do pior ao melhor: todos os 55 indicados ao Oscar de melhor filme nos anos 2000

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s