Dez filmes fortes e polêmicos com freiras e noviças

O ambiente fechado e o efeito repressivo que recai sobre as freiras desde suas vestes – o hábito – alimentam as reflexões, maiores ou menores, feitas nos filmes abaixo, do minimalismo ao escândalo pronto. São filmes sobre religiosidade, prisões, dores, alguns baseados em histórias verdadeiras.

Narciso Negro, de Michael Powell e Emeric Pressburger

A professora Natacha Thiéry observa que “Narciso Negro é sem dúvida o filme no qual o desejo feminino encontra sua atualização mais ampla” e que “tudo evoca a sensualidade por contraste com o status das religiosas”.

Viridiana, de Luis Buñuel

Prestes a fazer seus votos finais, a jovem Viridiana vai passar um tempo na casa do tio e termina abusada tanto pelos poderosos quanto pelos mais pobres. Grande crítica de Buñuel à Espanha franquista.

Madre Joana dos Anjos, de Jerzy Kawalerowicz

Um padre é enviado a um convento no qual as freiras estariam sob posse do Demônio. No local, ele próprio se verá confrontado pelas tentações da carne. Um dos grandes filmes do cinema polonês.

A Religiosa, de Jacques Rivette

Como sua família não tem dinheiro para comprar um dote e casá-la, Suzanne termina enviada a um convento contra sua vontade. O filme de Rivette, baseado na obra de Diderot, chegou a ser censurado na França.

Os Demônios, de Ken Russell

A Igreja e alguns poderosos usam freiras supostamente possuídas para incriminar um padre. Há cenas fortes, como o momento em que uma delas utiliza uma vela para se masturbar em uma festa.

Atrás dos Muros do Convento, de Walerian Borowczyk

Borowczyk é talentoso, mas o filme fracassa. É apenas a provocação de um artistas libertário – quase sempre de forma gratuita – à vida no claustro, onde freiras lutam para realizar seus desejos profundos.

Maus Hábitos, de Pedro Almodóvar

O diretor espanhol acerta o tom nessa comédia sobre freiras que amam outras mulheres, usam drogas, escondem fugitivas e até criam um tigre nas dependências do convento, na Espanha dos anos 1980.

Além das Montanhas, de Cristian Mungiu

Um filme frio e estupendo sobre a clausura e os efeitos do fanatismo religioso. Uma garota vai visitar sua amiga no convento e não consegue libertá-la. Cirúrgico na exploração narrativa e nos efeitos da dor física.

A Religiosa, de Guillaume Nicloux

Outra adaptação de Diderot, com efeitos e um encerramento diferentes. Nicloux evidencia ainda mais as consequências da tortura à protagonista e os desejos sexuais da madre interpretada aqui por Isabelle Huppert.

Benedetta, de Paul Verhoeven

A freira Benedetta reserva todo seu amor a Cristo até a chegada da jovem Bartolomea, que a faz entrar em contato com os desejos do corpo. O tão comentado filme de Verhoeven é forte e nasceu polêmico.

SOBRE O AUTOR:
Rafael Amaral é crítico de cinema e jornalista (conheça seu trabalho)

ACOMPANHE NOSSOS CANAIS: Facebook e Telegram

Veja também:
Uma Cruz à Beira do Abismo, de Fred Zinnemann
Maus Hábitos, de Pedro Almodóvar

2 comentários sobre “Dez filmes fortes e polêmicos com freiras e noviças

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s