David Fincher: do pior ao melhor

Alguns são bons. Outros são ótimos. Dá para dizer, por isso, que David Fincher não tem nenhum filme (ainda) para chamarmos de ruim. Sua filmografia mostra-se alinhada à ideia de uma América sombria, com temas variados, da franquia famosa ao drama sobre os bastidores da Hollywood, além de outras produções que merecem atenção.

11) O Quarto do Pânico (2002)

Mãe e filha acabam de se mudar a uma nova casa e têm de se prender em um quarto para se proteger de bandidos. O que os invasores querem está justamente no interior desse cômodo considerado impenetrável.

10) Alien 3 (1992)

Fincher aproxima-se mais do espírito do primeiro filme, de Ridley Scott, ao levar Ripley a uma prisão de homens piolhentos, às sombras o tempo todo, onde tem de raspar o cabelo e voltar a enfrentar o monstro.

9) Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres (2011)

Rooney Mara é a anti-heroína do novo século, a hacker Lisbeth Salander. Depois de se vingar de um homem, ela termina ajudando um jornalista (Daniel Craig) a tentar encontrar uma mulher desaparecida.

8) O Curioso Caso de Benjamin Button (2008)

Brad Pitt é Benjamin Button, que nasce velho e rejuvenesce, ao contrário das outras pessoas que passam por sua vida. A fábula funciona e, mesmo um pouco longa, Fincher mostra-se habilidoso e entrega um bom resultado.

7) Clube da Luta (1999)

Obra polêmica na qual o americano médio e à beira da depressão encontra sua maneira de escapar ao aderir à violência como passatempo. O que vem depois, sabem os espectadores, é o terrorismo.

6) Garota Exemplar (2014)

A tal “garota exemplar” trama contra o amado marido, o “perfeitinho” que logo se torna vítima. Nesse filme instigante, Fincher expõe a falsa sociedade banhada a casamentos de fachada e traições.

5) Vidas em Jogo (1997)

Um jogador – banqueiro que controla ações, que faz grandes negócios – é levado a um jogo que não pode controlar. Após ganhar um estranho presente do irmão, ele embarca em um mundo em que nada é real.

4) Seven: Os Sete Crimes Capitais (1995)

Possivelmente o filme mais lembrado de Fincher, ao lado de Clube da Luta. Outra vez, um jogo: um serial killer escolhe suas vítimas a partir dos pecados que cometem e compõe um tabuleiro de mistério.

3) Mank (2020)

A Hollywood dos sonhos em plena Grande Depressão. A relação dos estúdios com a política. Um roteirista une tudo isso e, de quebra, ajuda a dar vida a uma das obras mais importantes do século passado: Cidadão Kane.

2) A Rede Social (2010)

Os donos do poder são jovens irritantes, de fala acelerada, filhotes da tecnologia nem sempre – ou quase nunca – usada ao bem da sociedade. Em cena, os encontros e conflitos que deram vida ao Facebook.

1) Zodíaco (2007)

À época do lançamento, esperando algo como Seven, muita gente torceu o nariz. Trata-se do filme mais completo de Fincher, prova de sua ousadia, espetacular estudo sobre medos, paranoias e crimes sem resposta.

ACOMPANHE NOSSOS CANAIS: Facebook, YouTube e Telegram

Veja também:
Bastidores: O Poderoso Chefão – Parte 3

3 comentários sobre “David Fincher: do pior ao melhor

  1. Os clipes que ele dirigiu nos anos 80 e 90 também são maravilhosos. A bela lista inclui nada menos que dois vídeos históricos da Madonna: Express Yourself e Vogue.

Deixe uma resposta para João Cláudio Pereira Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s