David Fincher explica Clube da Luta

Ao entrevistar David Fincher para a Film Comment de setembro/outubro de 1999, Gavin Smith perguntou o que o cineasta propunha com Clube da Luta.

Não sei se é budismo, mas há a ideia de que, no caminho da iluminação, você precisa matar seus pais, seu deus e seu professor. Assim, a história começa no momento em que o personagem de Edward Norton tem 29 anos. Ele tentou fazer tudo o que foi ensinado a fazer, tentou se encaixar no mundo, tornando-se o que não é. Foi-lhe dito: “Se você fizer isso, obter educação, conseguir um bom emprego, ser responsável, apresentar-se de uma certa maneira, com seus móveis, seu carro e suas roupas, você encontrará a felicidade”. E ele não tem. E assim o filme o apresenta no momento em que ele mata seus pais e percebe que eles estão errados. Mas ele ainda está preso, preso neste mundo que criou para si mesmo. E então ele conhece Tyler Durden, e eles “voam diante de Deus” [expressão que significa confrontamento] – eles fazem todas essas coisas que não deveriam, todas as coisas que você faz nos seus vinte anos, quando não está mais sendo vigiado por seus pais e que acabam sendo, em retrospectiva, muito perigosas. E finalmente, ele tem que matar seu professor, Tyler Durden. Então, o filme é realmente sobre esse processo de amadurecimento.

 

(…) A Primeira Noite de um Homem é um bom paralelo. Era o momento em que você tem esse mundo de possibilidades, todas essas expectativas e você não sabe quem deveria ser. E você escolhe esse caminho, a senhora Robinson, e acaba sendo sombrio, mas faz parte de sua iniciação, seu julgamento pelo fogo. E então, escolhendo o caminho errado, você encontra o caminho certo, mas criou essa bagunça. Clube da Luta é o inverso dos anos 90: um cara que não tem um mundo de possibilidades à sua frente, ele não tem possibilidades, ele literalmente não consegue imaginar uma maneira de mudar sua vida.

A entrevista foi reproduzida no site Cinephilia & Beyond (“‘Fight Club’: David Fincher’s Stylish Exploration of Modern-Day Man’s Estrangement and Disillusionment”; leia aqui; a tradução é deste site). Acima, Brad Pitt e Edward Norton; abaixo, Fincher dirige os atores.

Curta nossa página no Facebook e siga nosso canal no YouTube

Veja também:
Spike Lee: “Nenhum negro jamais me perguntou: ‘O Mookie fez a coisa certa?’. Nunca”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s