O riso de Mozart

Acho que [o riso] se origina em sua infância. Desde os quatro anos de idade, ele foi, sem dúvida, a criança mais célebre da história. Era festejado em todas as cortes. Ele era tão delicioso que qualquer coisa que ele fizesse fazia rir os adultos. O menino fala as coisas seriamente, mas é tão encantador que todo mundo ri ruidosamente. Ele não entende as reações deles e, então, é levado a forçar seu riso. Inversamente, um adulto diz alguma coisa engraçada que todo mundo ri e o menino, que não entende, ri também para fazer parte do grupo. Mozart viveu essas situações tantas vezes em sua infância que aquele cacarejo tornou-se uma parte dele. Salvo que, aos 25 anos, isso não o faz mais parecer engraçado, mas estranho! Em relação a Salieri, é claro, aquele riso adquire uma significação suplementar: é Deus que zomba dele através desse cacarejar obsceno.

Milos Forman, cineasta, realizador de Amadeus, em entrevista a Michel Ciment em Hollywood – Entrevistas (Editora Brasiliense; pgs. 288 e 289). Acima, Tom Hulce solta o riso na pele de Wolfgang Amadeus Mozart.

Curta nossa página no Facebook e siga nosso canal no YouTube

Veja também:
Forman: “nada adianta um parque tecnológico sofisticado se você não tiver uma boa história para contar”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s