Os 100 melhores filmes dos anos 2000

A seleção abaixo revela diversidade. Filmes conhecidos e premiados dividem espaço com obras nem sempre lembradas, a serem descobertas. Fazer listas é difícil, ainda mais cobrindo um período de dez anos – de 2000 a 2009 – no qual muito se produziu em diferentes nações, da Romênia à China, do Brasil à Tailândia, da Coreia do Sul a Portugal.

ACOMPANHE NOSSOS CANAIS: Facebook e Telegram

Época para se despedir de grandes diretores. Altman, Rivette e Chabrol deixaram nesse recorte suas obras derradeiras e são lembrados abaixo. E diretores que apresentaram trabalhos interessantes nos anos 90 retornam com filmes espetaculares, caso de Beto Brant, James Gray, entre outros.

100) Código Desconhecido, de Michael Haneke

99) Polícia, Adjetivo, de Corneliu Porumboiu

98) 2046 – Os Segredos do Amor, de Wong Kar-Wai

97) Juventude Em Marcha, de Pedro Costa

96) Capote, de Bennett Miller

95) Lola, de Brillante Mendoza

94) A Comédia do Poder, de Claude Chabrol

93) Caminho Sem Volta, de James Gray

92) O Segredo de Vera Drake, de Mike Leigh

91) Maria, de Abel Ferrara

90) Quase Famosos, de Cameron Crowe

89) Oásis, de Lee Chang-dong

88) Quem Sabe?, de Jacques Rivette

87) A Questão Humana, de Nicolas Klotz

86) O Fantasma, de João Pedro Rodrigues

85) Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças, de Michel Gondry

84) O Céu de Suely, de Karim Aïnouz

83) Mother – A Busca pela Verdade, de Bong Joon-ho

82) O Invasor, de Beto Brant

81) O Homem de Londres, de Béla Tarr e Ágnes Hranitzky

80) Os Donos da Noite, de James Gray

79) Bastardos Inglórios, de Quentin Tarantino

78) O Princípio da Incerteza, de Manoel de Oliveira

77) A Espinha do Diabo, de Guillermo del Toro

76) Guerra ao Terror, de Kathryn Bigelow

75) Senhores do Crime, de David Cronenberg

74) Flanders, de Bruno Dumont

73) Boa Noite e Boa Sorte, de George Clooney

72) O Filho, de Jean-Pierre e Luc Dardenne

71) Tetro, de Francis Ford Coppola

70) Memórias de um Assassino, de Bong Joon-ho

69) Dogville, de Lars von Trier

68) Medos Privados em Lugares Públicos, de Alain Resnais

67) Eternamente Sua, de Apichatpong Weerasethakul

66) Tony Manero, de Pablo Larraín

65) Crime Delicado, de Beto Brant

64) Serras da Desordem, de Andrea Tonacci

63) Minha Terra, África, de Claire Denis

62) Sol Secreto, de Lee Chang-dong

61) Menina de Ouro, de Clint Eastwood

60) As Horas, de Stephen Daldry

59) Desejo e Perigo, de Ang Lee

57) A Hora da Religião, de Marco Bellocchio

57) Japão, de Carlos Reygadas

56) Valsa com Bashir, de Ari Folman

55) 35 Doses de Rum, de Claire Denis

53) Horas de Verão, de Olivier Assayas

53) Zodíaco, de David Fincher

52) Passaporte para a Vida, de Bertrand Tavernier

51) Sobre Meninos e Lobos, de Clint Eastwood

50) Guerra dos Mundos, de Steven Spielberg

49) Longe do Paraíso, de Todd Haynes

48) Domingo Sangrento, de Paul Greengrass

47) O Tigre e o Dragão, de Ang Lee

46) Frágil como o Mundo, de Rita Azevedo Gomes

45) Bom Dia, Noite, de Marco Bellocchio

44) As Invasões Bárbaras, de Denys Arcand

43) Amantes, de James Gray

42) Ônibus 174, de José Padilha

41) Chicago, de Rob Marshall

40) O Escafandro e a Borboleta, de Julian Schnabel

39) Match Point, de Woody Allen

38) A Professora de Piano, de Michael Haneke

37) Um Filme Falado, de Manoel de Oliveira

36) Santiago, de João Moreira Salles

35) Voo United 93, de  Paul Greengrass

34) A Vida dos Outros, de Florian Henckel von Donnersmarck

33) Os Catadores e Eu, de Agnès Varda

32) Eureka, de Shinji Aoyama

31) O Labirinto do Fauno, de  Guillermo del Toro

30) Café Lumière, de Hou Hsiao-Hsien

29) Ninguém Pode Saber, de Hirokazu Koreeda

28) Caché, de Michael Haneke

27) Plataforma, de Jia Zhangke

26) A Morte do Senhor Lazarescu, de Cristi Puiu

25) Vincere, de Marco Bellocchio

24) Marcas da Violência, de David Cronenberg

23) O Quarto do Filho, de Nanni Moretti

22) Luz Silenciosa, de Carlos Reygadas

21) A Virgem Desnudada por seus Celibatários, de Hong Sang-soo

20) Mal dos Trópicos, de Apichatpong Weerasethakul

19) Elefante, de Gus Van Sant

18) Jogo de Cena, de Eduardo Coutinho

17) Assassinato em Gosford Park, de Robert Altman

16) O Segredo de Brokeback Mountain, de Ang Lee

15) Onde os Fracos Não Têm Vez, de Joel e Ethan Coen

14) A Criança, de Jean-Pierre e Luc Dardenne

13) Em Busca da Vida, de Jia Zhangke

12) Cidade de Deus, de Fernando Meirelles

11) Entre os Muros da Escola, de Laurent Cantet

10) O Pântano, de Lucrecia Martel

A cineasta apresenta um grupo de pessoas em um local afastado, à frente de uma piscina escura, no ambiente em que a passagem do tempo da o tom da degradação. Um dos pontos altos do cinema argentino.

9) 4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias, de Cristian Mungiu

Duas garotas correm contra o relógio na Romênia dos tempos de Ceausescu: uma delas precisa abortar enquanto a outra assiste a essas horas – e minutos – de apreensão. Palma de Ouro no Festival de Cannes.

8) Lavoura Arcaica, de Luiz Fernando Carvalho

Após se apaixonar pela própria irmã, rapaz deixa sua família para descobrir o mundo. A mando da mãe, seu irmão vai buscá-lo. O retorno para casa leva-o a confrontar o pai. O melhor filme do período da Retomada.

7) Sangue Negro, de Paul Thomas Anderson

O homem sai atrás das riquezas da terra. O que significa ter de fazer conchavos, viver com pessoas desagradáveis ao lado, fingir que suporta algumas instituições – além do drama envolvendo seu filho.

6) Amor à Flor da Pele, de Wong Kar-Wai

O marido dela mantém um caso com a mulher dele. Desse estranho cruzamento, com toda paciência comum a Kar-Wai, sai uma história de amor difícil de explicar. O casal em cena está divino.

5) A Fita Branca, de Michael Haneke

O filme de Haneke, talvez seu melhor trabalho, costuma ser apontado como um estudo sobre o germe do nazismo. A personagem central é a pequena vila na qual começam a ocorrer crimes sem explicação.

4) Fale com Ela, de Pedro Almodóvar

O melhor filme da fase “dramática” do talentoso cineasta espanhol. Dois homens veem-se ligados a duas mulheres presas ao hospital, ambas em coma. Desse encontro nasce uma grande amizade.

3) Cidade dos Sonhos, de David Lynch

A cidade dos sonhos é Los Angeles. O palco é Hollywood. Por ali, uma aspirante a atriz encontra uma mulher sem memória, talvez uma estrela de cinema. A obra-prima de Lynch cola delírios às referências do cinema noir.

2) As Coisas Simples da Vida, de Edward Yang

O último filme do diretor, que morreu cedo. Painel de vidas em uma Taiwan moderna, de filhos que assistem ao envelhecimento dos familiares e tentam se conectar a outras pessoas, tão próximas e tão distantes.

1) As Harmonias de Werckmeister, de Béla Tarr

O diretor húngaro é um mestre do plano-sequência, do controle de multidões, do movimento de câmera. Toda a estrutura posta à frente está a serviço do tempo e do olhar das personagens. Aqui, um rapaz que assiste à invasão militar à sua pequena cidade, em andanças intermináveis, idas ao bar, a impressão de que tudo se dissolve enquanto se depara com a passagem do monstro, do leviatã encaixotado. Um filme inesquecível.

******

Cineastas mais presentes na lista:

  • Quatro filmes: Michael Haneke.
  • Três filmes: Ang Lee, James Gray, Marco Bellocchio.
  • Dois filmes: Apichatpong Weerasethakul, Béla Tarr, Beto Brant, Bong Joon-ho, Carlos Reygadas, Claire Denis, Clint Eastwood, David Cronenberg, Guillermo del Toro, Jean-Pierre e Luc Dardenne, Jia Zhangke, Lee Chang-dong, Manoel de Oliveira, Paul Greengrass, Wong Kar-Wai.

ACOMPANHE NOSSOS CANAIS: Facebook e Telegram

Veja também:
Os 100 melhores filmes dos anos 90

6 comentários sobre “Os 100 melhores filmes dos anos 2000

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s