Os quadros de Francis Bacon em Último Tango em Paris

Antes do filme fomos ver a primeira grande retrospectiva de Bacon no Grand Palais, em Paris, que se abrira naqueles dias. Levei Storaro [Vittorio Storaro, diretor de fotografia], levei Marlon [Marlon Brando], levei Scarfiotti [Ferdinando Scarfiotti, cenógrafo] e disse a eles: este é o estilo do filme. Ficou evidente. Bacon assistiu ao filme e adorou ver aqueles dois retratos seus, um homem e uma mulher, acompanhando os créditos. Mandou me dizer quanto estava grato, quanto tinha ficado feliz. Grato estava eu, porque ele me fizera entender tudo de Marlon e me deu a pista para que eu lhe arrancasse a máscara. Saindo da exposição, eu disse a Marlon que seu personagem tinha de ser como os de Bacon, com aqueles rostos que revelavam as vísceras.

Bernardo Bertolucci, cineasta, realizador de Último Tango em Paris, em entrevista à revista Bravo! (outubro de 1999; pg. 52). Acima e abaixo, os quadros de Francis Bacon nos créditos do filme.

Curta nossa página no Facebook e siga nosso canal no YouTube

Veja também:
Punhalada de erotismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s