Rubens Ewald Filho (1945-2019)

Não sei dizer bem como o meu amor pelo Cinema começou. Amor é uma palavra forte mas apropriada. Deve ter sido em algum momento da minha infância reprimida e bloqueada. Não me lembro de nada de antes dos cinco anos. (…) Não sei que mecanismo mágico me protegeu quando criança, mas o fato é que esse vício adquirido de pequeno foi o que me salvou através de anos de insegurança, complexos e relacionamentos mal resolvidos. Quando tudo o mais falhava, sempre me restava o Cinema. E isso ainda é verdade, quando sofro alguma rejeição, pessoal ou profissional, o Cinema nunca me trai. Ainda mais agora, que você pode ter seu filme favorito em casa, em vídeo ou DVD. Portanto, de certa forma você nunca está sozinho.

Rubens Ewald Filho, crítico de cinema, em Rubens Ewald Filho: O Oscar e Eu (Companhia Editora Nacional; pg. 18).

Curta o Palavras de Cinema no Facebook

Veja também:
Três visões sobre o Oscar (e sobre o mundo do cinema)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s