Os cinco melhores filmes de Paul Thomas Anderson

Nascido no Estado da Califórnia, nos Estados Unidos, Paul Thomas Anderson é um dos melhores cineastas em atividade no mundo, talvez o melhor americano de sua geração. A cada novo filme ele revela o desejo de correr riscos, de radicalizar pelo excesso de beleza, de densidade, de desejo em se aprofundar nos dramas humanos.

Seus filmes passam da velocidade e violência observadas em obras como Boogie Nights e Magnólia, calcadas em um mosaico de personagens, para dar vez às jornadas de seres isolados, difíceis, no limite da loucura – como O Mestre, Vício Inerente e Trama Fantasma. Apesar dos poucos títulos na filmografia, escolher seus cinco melhores trabalhos não é tarefa fácil.

5) Trama Fantasma (2017)

A despedida de Daniel Day-Lewis das telas (segundo o próprio) é um exercício que, à primeira vista, soa estranho: uma história de amor sobre pessoas obsessivas, mais uma das investidas no campo do inesperado. Em cena, o encontro de um estilista com sua nova musa (Vicky Krieps) em um espaço em que todos parecem espíritos.

4) Boogie Nights: Prazer Sem Limites (1997)

Os bastidores dos filmes pornigráficos nos Estados Unidos dos anos 70 e 80, o estouro do diretor depois do também ótimo Jogada de Risco, seu primeiro longa. A história segue um “bem dotado” Dirk Diggler (Mark Wahlberg), rapaz um pouco sem rumo que termina na indústria do sexo e nas festas e noites regadas à cocaína.

3) Magnólia (1999)

Outro, a exemplo de Boogie Nights, em que Anderson não esconde ter bebido na fonte do mestre americano Robert Altman: inúmeras personagens que se cruzam em um misto de drama com sátira social. Além, no caso da obra de Anderson, de uma situação abertamente irreal em seu encerramento: uma inexplicável chuva de sapos.

2) O Mestre (2012)

O soldado vivido por Joaquin Phoenix retorna da guerra e fica um pouco sem rumo até encontrar seu mestre (Philip Seymour Hoffman), à frente de uma seita religiosa. O que vem a seguir é o mergulho do soldado, feito seguidor, em um universo obscuro do qual Anderson retira um pouco das estranhezas de seu país.

1) Sangue Negro (2007)

O protagonista (Day-Lewis) é um grande vilão. Homem cínico, estranho, alguém que molha a mão no petróleo e a eleva como sinal de vitória. Alguém que sobrevive à queda em uma caverna para ressuscitar como líder poderoso. No meio do caminho, ele terá de enfrentar o próprio filho e um pastor decidido a ampliar seu rebanho.

Curta o Palavras de Cinema no Facebook

Veja também:
Os cinco melhores filmes de Stanley Kubrick

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s