Os dez melhores filmes de François Truffaut

Não dá para negar o apelido: François Truffaut foi, sem dúvida, o “cineasta apaixonado”. Sua fórmula, apesar de variações, é quase sempre a mesma: a paixão por mulheres, pelo cinema, pelas pequenas (ou grandes) situações cômicas, como observador da vida, cronista de seu tempo.

Morreu cedo. Poderia ter feito muito mais. Seu cinema difere-se do de Godard, Rivette ou Rohmer – alguns de seus parceiros na nouvelle vague. Ora flerta com Renoir, ora com Hitchcock, em obras que saltam do drama profundo à graça da infância, das angústias masculinas ao amor a três.

ACOMPANHE NOSSOS CANAIS: Facebook, YouTube e Telegram

10) O Último Metrô (1980)

Deliciosa comédia à maneira de Jean Renoir, na qual a dona de um teatro (Catherine Deneuve) esconde seu marido judeu em plena França ocupada, durante a Segunda Guerra Mundial.

o-ultimo-metro

9) Jules e Jim – Uma Mulher para Dois (1962)

Filme de amor livre, o mais apaixonado ato de Truffaut, com o trio de amantes e amigos divididos pela guerra. Em seu grande momento, Jeanne Moreau imortaliza-se na tela ao amar os dois amigos do título.

jules-e-jim

8) As Duas Inglesas e o Amor (1971)

Outra história de amor a três: a relação de um francês (Jean-Pierre Léaud) com duas inglesas, em idas e vindas, com o passar do tempo e a tragédia imposta pela solidão. Uma joia nem sempre lembrada.

as-duas-inglesas-e-o-amor

7) Um Só Pecado (1964)

Françoise Dorléac (irmã de Deneuve) morreu jovem e deixou o filme como testamento. É sobre adultério, sobre um homem (Jean Desailly) entre a vida de casado e as escapadas com a bela amante.

um-so-pecado

6) A História de Adèle H. (1975)

O amor cego, não correspondido, em seu estágio máximo de entrega: a tradução de tudo isso nos olhos de uma extraordinária Isabelle Adjani, indicada ao Oscar pelo papel e injustamente preterida.

a história de adele h

5) A Mulher do Lado (1981)

A história de amor feita ao acaso, como seu ponto de partida e sem volta. O homem (Gérard Depardieu) vê sua vida mudar ao reencontrar a antiga amante (Fanny Ardant), agora sua nova vizinha.

a-mulher-do-lado

4) A Noite Americana (1973)

Ao lado de Assim Estava Escrito, O Jogador e Crepúsculo dos Deuses, é um dos melhores filmes sobre o universo do cinema, com suas belas estrelas, trapalhadas reais e apaixonantes improvisações.

a noite americana

3) Beijos Proibidos (1968)

A terceira parte da saga de Antoine Doinel (Jean-Pierre Léaud, o alter ego de Truffaut) leva à aventura cômica, ao jovem detetive nos tempos conflituosos de 1968, decidido a desvendar o amor.

beijos-proibidos-1

2) O Garoto Selvagem (1970)

Poderoso estudo sobre a linguagem, a descoberta da vida, a adaptação da criança ao mundo de signos e avesso à selvageria. O diretor interpreta o professor Jean Itard. A bela fotografia é de Néstor Almendros.

o garoto selvagem

1) Os Incompreendidos (1959)

Marco inaugural da nouvelle vague, valeu a Truffaut o prêmio de direção em Cannes e apresentou ao mundo o artista que ajudou a reinventar a sétima arte. No início, uma dedicatória a ninguém menos que André Bazin.

os-incompreendidos

Veja também:
Os dez melhores filmes de Eric Rohmer

2 comentários sobre “Os dez melhores filmes de François Truffaut

  1. Fahrenheit 451 fora da lista? Era fundamental a presença desse filme até mesmo como indicação do talento versátil de Truffaut. É um filme necessário para compreender o artista e criador muito além da leitura de um cineasta voltado para o romance e a comédia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s